6 de jun de 2011

Mamãe, estou atrasado!

     Quem é de Minas sabe o que é estar de virote. Para quem não é, segue a tradução: não dormi nem um minutinho a noite toda....
     Meu pequeno está com uma baita dor de ouvido. Ele disse que tinha um bichinho fazendo ZZZZzzzzzZZZZ... Acho até que houve um momento em que ele não estava escutando direito... tadinho...
     É nessas horas que as mães ficam sensíveis. Eu tenho vontade de chorar junto com ele, mas apesar disso, preciso dar força e demonstrar segurança. Difícil...
     Bom, passei a noite toda inventando estórias, as mais diversas, para que ele paresse de chorar. Nessas horas a imaginação da gente fica fértil que é uma beleza!  Eu já havia medicado, estava fazendo compressas com panos quentes para aliviar a dor, e só me restava consolá-lo.
     Hoje de manhã, quando ele se deu conta de que o sol já havia saído, deu um sonoro "BOM DIA SOL!!!!!", com toda a felicidade do mundo, acordando a casa toda. Eu - que cochilara há 10 minutos - apesar do sono, fiquei aliviada.
     Retomamos todos a rotina da casa, segundona de manhã, correria... Na hora de sair, cumprimos o ritual beijoqueiro de sempre: dei um beijinho no papai e quando fui me despedir da pequena criança, ele soltou:
- Mamãe, não sou mais neném. É só tchau mesmo, que eu tô atrasado!
    



10 comentários:

  1. Que lindo!!!!!!!!!
    São momentos como este que fazem a gente esquecer da noite insone.
    Sei muito bem o que é isso. E conheço as compressas quentes, rsrsrs. Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Olá, seja bem vinda!
    Com certeza estes momentos fazem todo o resto valer a pena.
    É um prezer tê-la por aqui.
    BJO!

    ResponderExcluir
  3. Olá Cata, pois eh eu não dormi tambem por causa da minha princesa de 1 ano, sei bem como vc esta se sentindo nesta segundona, mais é uma delícia neh, apesar do sono, ver como eles se recuperam rápido e ficam com aquela maravilhosa alegria de viver, amei seu post, bjs e flores. Deka.

    ResponderExcluir
  4. Se formos ver num ângulo real, nossos filhos nunca são nossos filhos. Os temos, os criamos, mas no final eles se tornam o que devem se tornar. Pessoas independentes.

    ResponderExcluir
  5. Aproveita amiga, enquanto são pequenininhos "apenas" querendo parecer grandes, o tempo passa rápido e ficam as dôces lembranças desses momentos, a nossa responsabilidade cresce junto com eles. bjnhos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, deka
    pois é, é incrível o que um remédio faz nessas criaturinhas! E a gente com cara de zumbi no dia seguinte. Ces't la vie!
    Que bom ter vpcê por aqui.
    BJOS!

    ResponderExcluir
  7. Oi Edu, tô morrendo de vontade desse dia chegar! Não vejo a hora de ter um adolescente chato aqui em casa.....
    kkkkkkk
    BJO!

    ResponderExcluir
  8. Oi Marcela,
    obrigada pela presença!

    ResponderExcluir
  9. Oi Suely,
    pois é. a responsabilidade e o nível de dificuldade, ne?! Mas sabe que eu estou ansiosa pra ver como vai ser isto? Daqui a dez anos, quem sabe... ele já tem dois anos e quase oito meses.... kkkkkk
    BJOS!!!!

    ResponderExcluir

Gostaria de saber o que você achou deste texto. Sua opinião é muito importante!
Se puder, se identifique!