1 de jun de 2011

Nas lacunas da felicidade


Sugiro que ouça enquando lê.


     Eu sempre gostei de músicas tristes. Elas têm a função de me livrar da dor. As pessoas têm medo de falar de tristeza, a não ser quando choram suas pitangas... Acho que a tristeza pode ser bela porque ela faz parte da vida.
     Todos falam de felicidade, todos buscam por ela incansavelmente; mas as pessoas não costumam admitir que, entre os momentos de felicidade, estão os de tristeza. Porém, como posso definir tristeza? Ela é diferente em complexidade, em quantidade e até em frequência para cada pessoa. Posso falar da minha. Ela é intensa, dói muito, e nem sempre tem um motivo importante. Mas está aí, e eu vivo isso, sem vergonha e sobretudo sem pena de mim mesma. É uma coisa que acontece, não tenho que lutar contra isso: em algum momento, passa.
     Aprendi que o sofrimento pode se tornar um instrumento de aprendizagem importante. Se a vida fosse feita só de momentos felizes, ninguém daria valor à tão cobiçada felicidade, porque o ser humano é assim. Quando se está sofrendo, seja por que motivo for, em algum momento acabamos tomando alguma providência para sair daquela situação. Rubem Alves já escreveu que ostra feliz não faz pérola. A pérola é produzida para que aquele grãozinho de areia pare de machucar a delicada ostra. E o resultado que temos é uma jóia linda, é o resultado do sofrimento, que é belo.
     Outro dia estava assistindo A LIGA, e eles entrevistaram um médico especialista em mal humor e depressão. O Dr. disse que a maneira mais eficaz de sanar problemas dessa natureza - aqueles que não são patológicos, é claro - é fazer bem a outra pessoa, se engajar em alguma causa sem esperar por algum tipo de retorno. 
     Precisamos mudar. Mudar drasticamente nossa forma de viver, de ver o mundo. Keynes disse que "a dificuldade não estriba tanto na formulação de novas ideias, mas no sacudir as velhas".
Estamos apegados ao nosso passado, às coisas que já não são mais, aos acontecimentos dos quais ninguém se lembra.
     Vivamos as nossas tristezas, sem pena ou culpa, para que um alvorecer de felicidade chegue. E que venha depois de termos esgotado toda a dor, para que não sobre nenhum haver para a próxima temporada de tristeza. 



    

3 comentários:

  1. As pessoas sofrem buscando a felicidade porque elas teimam em acreditar que ela é algo palpável, que pode ser alcançado e mantido para sempre. Ninguém quer admitir que a tristeza faz parte da vida e que não nos cabe evitá-la, mas apenas escolher a melhor forma de passar por ela.

    ResponderExcluir
  2. Belo texto! Concordo com você,qual o problema em ficar triste? Como escrevi em um texto:"Para que esse imediatismo em se livrar da dor? Perder dói, seja lá qual for o objeto da perda. Se não há como escapar da perda, porque tem que escapar do sofrimento que ela causa? É assim que desde muito cedo somos incentivados a dissimular nossos sentimentos. Fingindo primeiro para atender ao apelo daqueles que nos querem bem, e depois, por força do hábito, fingir torna-se hábito".

    ResponderExcluir
  3. Lindeza de texto.
    Paz no meio de tanto tormento. =)

    ResponderExcluir

Gostaria de saber o que você achou deste texto. Sua opinião é muito importante!
Se puder, se identifique!